domingo, 16 de setembro de 2018

Portfolio Blueberry Stardom

N. C.: Capa com ilustração – extraída do 
portfólio - se estendendo à contracapa.


Portfolio Blueberry Stardom
Tipo: 2D
Categoria: Portfólio
Autor: Jean Giraud
Editor: Stardom
Fabricante: Deja et fils
Dimensões: 245x322 mm; 240x320 mm; 320x240 mm; 480x320 mm (1)
Aspecto: Monocromo; Policromo (2)
Data de lançamento: 01/1994
Material: Papel cartonado
Tiragem: 800 exemplares (3)

Comentário: 18 ilustrações contidas no portfólio (4). Compreende 4 folhas monocromas em cujas um prefácio de Eddy Mitchell, 14 ilustrações ao formato 320x240 e uma ilustração ao formato 480x320.

Fonte: Bedetheque.

N. C.:
(1) Dimensões: 24,5x32,2 cm: estojo do portfólio; 24,0x32,0 cm: 12 ilustrações, mais o prefácio de Eddy Mitchell, a introdução de Jean Giraud, Chihuahua Pearl e a ficha técnica do portfólio; 32,0x24,0 cm: duas ilustrações; 48,0x32,0 cm: uma ilustração em formato duplo em relação àquele vertical, guardada dobrada no estojo.
(2) Aspecto: Monocromo: 4 ilustrações – o prefácio de Eddy Mitchell; a introdução de Jean Giraud; Chihuahua Pearl em um extrato do álbum “Arizona Love”, o último publicado até então da série “Blueberry”; a ficha técnica da publicação. Policromo: 15 ilustrações – grande parte das quais publicadas nos Estados Unidos, sendo 9 de capas de álbuns “Blueberry” editados pela Epic Comics no final dos anos 1980 e no início dos anos 1990.
(3) Tiragem: 800 exemplares numerados e assinados por Jean Giraud, a lápis, junto ao prefácio de Eddy Mitchell.
(4) Comentário: 19 ilustrações: 4 folhas - a introdução, o prefácio, Chihuahua Pearl e ficha técnica - e 15 ilustrações.



N. C.: Prefácio de Eddy Mitchell (5):

É uma evidência, a perfeição
não é desse mundo, eu quero
dizer daquele dos adultos, mas
na quarta dimensão que é
o universo da BD (6), basta abrir
um álbum de Jean Giraud para
encontrá-la em cada desenho, em
qualquer página. Sua composição
de cena é digna de um John Ford (7)
ou de um Sam Peckinpah (8). Seus atores
não são heróis clichês, eles
têm caras, personalidades
e sentimentos que vão frequentemente
ao encontro das regras dos “gibizinhos”,
mas, como bem disse
o poeta Moebius (9), o homem é
bom? (10)

N. C.:
(5) Eddy Mitchell, ator e cantor francês.
(6) BD: Bande Dessinée. HQ: História em Quadrinhos.
(7) John Ford, cineasta norte-americano, diretor de “Stagecoach” (“No Tempo das Diligências”), “The Searchers” (“Rastros de Ódio”), entre outros westerns.
(8) Sam Peckinpah, diretor, produtor e roteirista de cinema norte-americano, dirigiu filmes western como “The Wild Bunch” (“Meu Ódio Será Tua Herança”).
(9) Moebius, o outro eu artístico de Jean Giraud.
(10) “O Homem é Bom?”: título de um dos álbuns de Moebius.



N. C.: Introdução de Jean Giraud:

                             Blueberry
Um dia, eu ainda acabei por
me encontrar sobre o dorso de um
daqueles pequenos cavalos apaches,
capazes de passar da sonolência à
fúria em uma piscar de olhos...
Em torno de mim se desdobrava a
incrível, a estranha majestade do
Monument Valley (11)...
O ar ardente e perfumado como
um som vibrante...
Estranha sensação...
Eu vivia meu sonho...
As milhares de horas sobre a
prancha em branco, dando à luz
Blueberry se dissolveram nesse
instante único, telescópico em um
desfile instantâneo e indescritível,
em um sonho azul...
          De um azul mirtilo... (12)
                                                      
N. C.:
(11) Monument Valley. Região dos Estados Unidos, situada na reserva dos índios Navajos, em cuja se encontra o monumento “As Quatro Esquinas” que marca o ponto de divisas de quatro Estados – Utah, Colorado, Novo México e Arizona. Foi muito usada como cenário em filmes western, particularmente os de John Ford, com John Wayne como ator principal. Fonte: Wikipédia, com adaptações.
(12) Mirtilo: fruta de cor azul, cujo nome em inglês é blueberry – apelido escolhido pelo próprio Mike Steve, na sua juventude, quando viu um arbusto dessa fruta. Jean Giraud definiu como o tenente seria chamado ao encontrar, no sumário de uma revista, uma reportagem sobre a planta blueberry, que, além do apelido do protagonista, passou, ao longo dos álbuns, a ser o título da série.


N. C.: Blueberry e Chini, filha de Cochise, chefe Apache Chiricahua. Ilustração, em acrílica, assinado Gir, republicada no artbook “Blueberry’s”, Stardom Éditeur, 1997.


N. C.: Blueberry, a galope, em meio a índios. Ilustração, em nanquim e pincel, assinado Gir, republicada no artbook “Blueberry’s”, Stardom Éditeur, 1997.


N. C.: Um homem branco – talvez Mike Blueberry – atacado por índios em seu acampamento. Ilustração, assinado Gir, publicada, em página inteira, no álbum “Blueberry 5 – The End of Trail” da Epic Comics.


N. C.: Ilustração, assinado Mœbius, da capa de “Blueberry 5 – The End of Trail”, álbum publicado por Epic Comics em 1990. Díptico com as histórias “The Last Card” (“La Dernière carte”, “A Última Cartada”) e “The End of Trail” (“Le Bout de la piste”, “O Fim da Pista”).


N. C.: Ilustração da capa de “Lieutenant Blueberry 1 – The Iron Horse”, álbum publicado por Epic Comics em 1991. Bico de pena e nanquim colorido, assinado Gir, republicada no artbook “Blueberry’s”, Stardom Éditeur, 1997, junto à versão para o projeto da série de TV “Colt”, 1995. “The Iron Horse”: “Le Cheval de fer”, “O Cavalo de Ferro”.


N. C.: Ilustração, assinado Mœbius, da capa de “Marshal Blueberry 1 – The Lost Dutchman’s Mine”, álbum publicado por Epic Comics. Republicada na capa de “Blueberry. Les Monts de la Superstition”, Hors Collection lançado em 2003, por Dargaud Éditeur, na ocasião dos 40 anos de Blueberry – díptico com as histórias “La Mine de l’Allemand perdu” (“A Mina do Alemão Perdido”) e “Le Spectre aux balles d’or” (“O Espectro das Balas de Ouro”) que integram o ciclo Prosit Luckner. O Ouro da Sierra.


N. C.: Ilustração, assinado Mœbius, da capa de “Blueberry 4 – The Ghost Tribe”, álbum publicado por Epic Comics em 1990. Díptico com as histórias “The Long March” (“La Longue Marche”, “A Longa Marcha”) e “The Ghost Tribe” (“La Tribu fantôme”, “A Tribo Fantasma”).


N. C.: Ilustração, assinado Mœbius, da capa de “Lieutenant Blueberry 2 – Steelfingers”, álbum publicado por Epic Comics em 1991. Jethro “Steelfingers” Diamond, chamado, nessa edição americana, de Jethro “Steelfingers” Drake. A segunda versão dessa ilustração – em acrílica, nanquim colorido e aerógrafo, assinado Gir, 1996 – foi publicada no artbook “Blueberry’s”, Stardom Éditeur, 1997. “Steelfingers”: “L’Homme au poing d’acier”, “O Homem do Punho de Aço”.


N. C.: Ilustração da capa de “Blueberry 1 – Chihuahua Pearl”, álbum publicado pela parceria da Epic Comics (Nova York, Estados Unidos) com a Titan Books (Londres, Inglaterra), impresso nos Estados Unidos, em 1989. Díptico com as histórias “Chihuahua Pearl” (“Chihuahua Pearl”, “Chihuahua Pearl”) e “The Half-a-million Dollar Man” (“L’Homme qui valait 500000$”, “O Homem Que Valia $500000”). Ilustração, assinado Mœbius, também da capa de “Chihuahua Pearl”, álbum publicado por Meribérica/Liber, editora portuguesa, em 1990; e utilizada na capa e na contracapa desse portfólio.


N. C.: Mike Blueberry na ilustração, assinado Mœbius, da capa de “Blueberry 3 – Angel Face”, álbum publicado por Epic Comics em 1989. Díptico com as histórias “Angel Face” (“Angel Face”, “Angel Face”) e “Broken Nose” (“Nez Cassé”, “Nariz Partido”).


N. C.: Mike Blueberry, Jimmy McClure e Chihuahua Pearl na ilustração, assinado Mœbius, da capa de “Blueberry 2 – Ballad For A Coffin”, álbum publicado por Epic Comics em 1989. Díptico com as histórias “Ballad For A Coffin” (“Ballade pour un cercueil”, “Balada Para Um Caixão”) e “The Outlaw” (“Les Hors-la-loi”, “O Fora-da-lei”).


N. C.: Ilustração, assinado Mœbius, do Tenente Mike Steve Blueberry.


N. C.: Ilustração, assinado Mœbius, da capa de “Lieutenant Blueberry 3 – General Golden Mane”, álbum publicado por Epic Comics em 1991. Díptico com as histórias “The Trail Of The Sioux” (“La Piste des Sioux”, “A Pista dos Sioux”) e “General Golden Mane” (“Général Tête Jaune”, “General Cabeça Amarela”). Ilustração inspirada no ator Kevin Costner em uma cena do filme “Dances with Wolves” (“Dança com Lobos”) lançado em 1990.


N. C.: Ilustração, assinado Gir, inspirada no último quadrinho de “General Cabeça Amarela” (“Général Tête Jaune”, 1971) e no quadrinho 4 da prancha 37 de “O Fim da Pista” (“Le Bout de la piste”, 1986), em cujos aparecem os três companheiros de aventuras – Jimmy McClure, Mike Blueberry e Red Neck – a cavalo, rumo ao horizonte. A ilustração é uma mescla dos dois quadrinhos.


N. C.: Tsi-Na-Pah em um duelo índio no Monument Valley, Arizona. Tsi-Na-Pah – “Nez Cassé”, “Nariz Partido” -, apelido dados pelos Apaches a Blueberry devido o seu nariz quebrado, na juventude, pelo General Dogde, durante a Guerra de Secessão. Ilustração - em bico de pena, nanquim colorido e aerógrafo, assinado Mœbius - republicada no artbook “Blueberry”, Stardom Éditeur, 1997.


N. C.: Lily Calloway, aliás, Chihuahua Pearl em uma noite de amor com Mike Blueberry, sob a tempestade, escondidos em uma gruta, naquela que seria a sua noite de núpcias com Duke Stanton. Desenho não publicado no álbum “Arizona Love” – lançado por Alpen Publishers em 1990 -, cuja história foi a última escrita por Jean-Michel Charlier, a qual teve o roteiro alterado e concluído por Jean Giraud. 


N. C.: Índio ancião. Bico de pena. Ilustração republicada, em preto e branco - sobre uma fotografia, também em preto e branco, de uma formação rochosa que alude ao desenho - no artbook “Blueberry’s”, Stardom Éditeur, 1997.

Ficha Técnica
Blueberry – Porte folio Copyright © Stardom Paris
Diretora da publicação Claudine Giraud
Concepção gráfica Diego Aranega / Pascal Paulus
Prefácio Eddy Mitchell. Texto Jean Giraud
Todos os direitos reservados
Stardom Galerie – 2 Rue Voltaire – 75011 Paris ®
Contato Frank Bruneau 45-56-60-89
Impresso na França por Deja et Fils 01/1994


Portfolio Blueberry © Jean Giraud, Stardom 1994

Fonte das imagens: Pinterest: coletânea do portfólio. Bedetheque: as demais.


N. C.: Coletânea do portfólio “Blueberry” Stardom também chamado de portfólio “Blueberry - Jean Giraud” e de portfólio “Blueberry – Couvertures Américaines”. Nessa coletânea, a exceção é o prefácio de Eddy Mitchell.

Afrânio Braga

Nenhum comentário:

Postar um comentário