quarta-feira, 1 de abril de 2020

Blueberry - Amertume Apache - Christophe Blain

Blueberry - Amertume Apache - Christophe Blain





Tiragem de luxo em preto e branco de Une aventure du Lieutenant Blueberry tome 1 – Amertume Apache de Chistophe Blain

Editada por Barbier & Mathon




Tiragem limitada a 350 exemplares numerados com uma capa inédita, acompanhados de uma serigrafia numerada e assinada pelo artista. Obra inicialmente publicada pelas edições Dargaud, essa edição é aumentada de cinquenta páginas de desenhos preparatórios, croquis e storyboards. Em venda exclusivamente na galeria Barbier & Mathon.

Esse álbum foi desenhado por Chistophe Blain, sobre um roteiro de Joann Sfar e Chistophe Blain.

A série “Blueberry” foi criada por Jean-Michel Charlier e Jean Giraud.

Publicação em 23 de janeiro de 2020
ISBN: 978-2-919243-33-4 

128 páginas
23,5 x 31,0 cm
Capa dura
150 euros

Blueberry Amerture Apache TL N&B © Joann Sfar / Christophe Blain – Galerie Barbier & Mathon 2020

Afrânio Braga

N. C.: Ilustração da capa: Mike Blueberry. Ilustração da serigrafia: Ruth Tyreen e Mike Blueberry. Abaixo: mais um abraço do casal na prancha 61 dessa edição de luxo da história “Amerture Apache”.



domingo, 1 de março de 2020

Blueberry 1 de Sfar e Blain – N&B

Capa com autocolante


LIEUTENANT BLUEBERRY TOME 1AMERTUME APACHE – N&B
Roteiro: Christophe Blain e Joann Sfar
Desenho: Christophe Blain
Baseado no universo de: Jean-Michel Charlier e Jean Giraud
Gênero: Aventura / Western / Ação
Público: Adolescente e adulto – a partir de 12 anos
Preço: 19,99 €
Paginação: 64 páginas
Formato: 24,0x32,0 cm
Lançamento: 22/11/2019
Edição: Em preto e branco
Tiragem: Limitada
Editora: Dargaud

N. C.: “Tenente Blueberry” volume 1 – “Amargura Apache” – P&B

Resumo de “Lieutenant Blueberry” tome 1

Enquanto ele patrulha os arredores de uma reserva indígena, o tenente Blueberry assiste ao homicídio de duas mulheres da tribo apache assassinadas por três jovens brancos. As duas vítimas são a esposa e a filha de um guerreiro, Amertume: um duplo homicídio que põe em risco incendiar a região desencadeando uma nova guerra...

Uma narrativa de uma só vez fascinante e crepuscular, homenagem a esse western culto.

Esse álbum é uma edição especial em preto e branco com uma capa inédita.

Fonte: Dargaud Éditeur, Paris, França.

Lieutenant Blueberry tome 1 – Amertume Apache N&B © Joann Sfar / Christophe Blain – Dargaud 2019


 Capa sem autocolante


 Desenho da página de guarda


 Página de rosto. Uma aventura do Tenente Blueberry 
baseada na obra de Jean-Michel Charlier e Jean Giraud


Página 2
Essa edição em preto e branco do Lieutenant Blueberry de Joann Sfar e 
Christopher Blain foi objeto de uma tiragem limitada a 4.000 exemplares.

A série “Blueberry” foi criada por Jean-Michel Charlier e Jean Giraud.


 Prancha 1



Prancha 2

 Prancha 3


 Prancha 4



Prancha 5

 Prancha 6


 Prancha 7


Prancha 8


Contracapa. Quadrinho 3 da prancha 61.


Afrânio Braga



domingo, 2 de fevereiro de 2020

“Blueberry” volume 1 de Sfar e Blain

Capa


LIEUTENANT BLUEBERRY TOME 1AMERTUME APACHE
Roteiro: Christophe Blain e Joann Sfar
Desenho: Christophe Blain
Baseado no universo de: Jean-Michel Charlier e Jean Giraud
Gênero: Aventura / Western / Ação
Público: Adolescente e adulto – a partir de 12 anos
Preço: 14,99 €
Paginação: 64 páginas
Formato: 24,0x32,0 cm
Lançamento: 06/12/2019
Edição: Em cores
Editora: Dargaud

N. C.: “Tenente Blueberry” volume 1 – “Amargura Apache”


Resumo de “Lieutenant Blueberry” tome 1

Enquanto ele patrulha os arredores de uma reserva indígena, o tenente Blueberry assiste ao homicídio de duas mulheres da tribo apache assassinadas por três jovens brancos. Querendo a todo preço evitar uma nova guerra, ele vai ao encontro do clã. Mas as duas vítimas não são outras que a esposa e a filha do belicoso guerreiro, Amertume, que tem a seu favor os elementos mais incontroláveis do grupo. A machadinha de guerra não está longe de ser desenterrada...

De retorno ao forte, Blueberry deve fazer frente ao comandante, um homem duro e nervoso...

Uma narrativa de uma só vez fascinante e crepuscular, homenagem a esse western culto.

Fonte: Dargaud Éditeur, Paris, França.

Lieutenant Blueberry tome 1 – Amertume Apache © Joann Sfar / Christophe Blain – Dargaud 2019

A série “Blueberry” foi criada por Jean-Michel Charlier e Jean Giraud.


Original do desenho da capa


Desenho da página de guarda


Prancha 1


Prancha 2


Prancha 3


 Prancha 4


Prancha 5


 Prancha 6


Prancha 7


Quadrinhos 1, 2 e 3 da prancha 8


Quadrinhos 7, 8 e 9 da prancha 8


 Prancha 9


Quadrinhos 7 e 8 da prancha 10


 Prancha 13


Prancha 17


 Prancha 19


Prancha 26


Prancha 40


 Prancha 47


 Metade da prancha 49


Contracapa


Fontes das imagens: Dargaud Éditeur: capa e desenho original da capa. BDzomm: pranchas 2 e 6. BDfugue: pranchas 3 e 4. Bodoi: prancha 5. Le Parisien: prancha 7. Ligne Claire: prancha 1 e extratos das pranchas 6, 8 e 10. Bedetheque. Prancha 9 e contracapa. ActuaBD: pranchas 13, 17, 19, 26 e 40. Liberation: prancha 47. 20minutes: prancha 49.

Afrânio Braga




quarta-feira, 1 de janeiro de 2020

Blueberry 1 de Sfar e Blain: revelação da capa

TENENTE BLUEBERRY: REVELAÇÃO DA CAPA


Christophe Blain e Joann Sfar associam seus talentos propondo uma aventura de Blueberry em dois volumes.




Criado em 1963, por Jean-Michel Charlier e Jean Giraud para a revista “Pilote”, “Blueberry” é um florão da história em quadrinhos francófona. Mas, desde o falecimento de Giraud em 2012, a série não conheceu mais novidade.

Portanto, Christophe Blain (“Quai d’Orsay”, “Gus”, “Isaac”) e Joann Sfar (“Le Chat du Rabbin”) associaram seus respectivos talentos propondo uma aventura do Tenente Blueberry.

Enquanto ele patrulha os arredores de uma reserva indígena, o tenente Blueberry assiste ao homicídio de duas mulheres da tribo apache assassinadas por três jovens brancos. As duas vítimas são a esposa e a filha de um guerreiro, Amertume: um duplo homicídio que põe em risco incendiar a região desencadeando uma nova guerra...

Uma narrativa de uma só vez fascinante e crepuscular, homenagem a esse western culto.

Encontraremos vocês em 29 de novembro de 2019!


Christophe Blain em via de realizar a capa sob o olhar atento de seu editor François Le Bescond.


Uma antevisão da capa do Tenente Blueberry...


Nova etapa antes dos retoques da capa...


E, enfim, eis a capa de “Lieutenant Blueberry” volume 1/2 a descobrir em livraria em 29 de novembro de 2019!




Lieutenant Blueberry : révélation de la couverture © Dargaud Éditeur 2019

Afrânio Braga


domingo, 1 de dezembro de 2019

Homenagem aos 30 anos do último voo de Jean-Michel Charlier

Jean Giraud, Jean-Michel Charlier e Peyo. (1)


Homenagem aos 30 anos do último voo de
Jean-Michel Charlier


Ele obteve a graduação em Licenciatura em Letras, o doutorado em Direito, o brevê de piloto de avião comercial e, sobretudo, a admiração de milhões de leitores, em todo o mundo, por seu ofício de contador de histórias.

Ele é o maior roteirista da história em quadrinhos franco-belga, em cuja ele foi o criador de diversas séries de sucesso como “Blueberry”, “Tanguy et Laverdure”, “Buck Danny”, “Barbe Rouge”, “La Patrouille des Castors”, “Marc Dacier” – obras literárias que encantaram e continuam a encantar gerações de amantes da 9ª arte.

Ele foi o criador da revista semanal “Pilote” juntamente com outros profissionais da história em quadrinhos da época, entre os quais François Clauteaux, René Goscinny e Albert Uderzo. Esse hebdomadário foi publicado de 1959 a 1989 (ano em cujo ele cavalgou para as pradarias celestiais).

Ele viu as aventuras dos pilotos Michel Tanguy e Ernest Laverdure serem mostradas na série televisiva francesa “Les Chevaliers du ciel” (ou “Les Aventures de Tanguy et Laverdure”, um dos títulos da bande dessinée – história em quadrinhos), a qual teve 39 episódios, de 1967 a 1970. Ele não viu o filme “Les Chevaliers du ciel” (“Sky Fighters”, título em inglês; “Os Cavaleiros do Ar”, título no Brasil), lançado em 2005, ser inspirado livremente nas histórias desses dois pilotos.

Ele também não viu a adaptação de dois episódios da série “Blueberry” – “La Mine de l’Allemandu perdu” e “Le Spectre aux balles d’or” (“A Mina do Alemão Perdido” e “O Espectro das Balas de Ouro”, díptico que compõe o ciclo do Ouro da Sierra) – para o cinema, em 2004, no filme “Blueberry, l’expérience secrète” (“Blueberry. Desejo de Vingança”, título no Brasil), de cujo o seu filho, Philippe, pediu para retirar o seu nome dos créditos por considerar que o roteiro da produção cinematográfica distorcera a sua obra literária; ficando, nos créditos, apenas o nome de Jean Giraud, o seu parceiro, por 26 anos, nessa famosa série western da literatura em quadrinhos.

Ele foi diretor de programas de televisão, nos quais ele realizava tudo – da filmagem à edição, da narração à mixagem – com o seu entusiasmo característico. Christine, a sua esposa, disse que ele estava uma dezena de anos adiante do desenrolar dos acontecimentos.

Ele nasceu em 30 de outubro de 1924, em Liège, Bélgica, e alçou o seu último voo em 10 de julho de 1989, em Paris, França, às vésperas dos fogos de artifício do 14 de julho. Quase um adeus em meio ao foguetório do feriado nacional francês, mas, certamente, em meio a perseguições, tiroteios, trens, aviões, embarcações, tramas, reviravoltas e muita aventura na arte sequencial de sua autoria.

Ele, um dos mais prolíficos roteiristas da história em quadrinhos, recebeu uma série de homenagens, do blogue Blueberry, por ocasião do 30º aniversário do seu falecimento. Nesta homenagem, é listada, em ordem de publicação, as postagens do blogue, com os respectivos links, que tratam, mais especificamente, sobre a vida e a obra do Alexandre Dumas da bande dessinée: JEAN-MICHEL CHARLIER.






























Jean-Michel Charlier, criador literário das séries “Blueberry”
e “La Jeunesse de Blueberry”, e François Corteggiani, atual
roteirista das histórias de Blueberry jovem, em 1983. (2)


N. A.: 1) Jean Giraud, Jean-Michel Charlier e Peyo, criador dos “Les Schtroumpfs” (“Os Smurfs”, no Brasil), na comemoração do 50º aniversário de Victor Hubinon, desenhista da série “Buck Danny”, em um restaurante próximo à casa do aniversariante, o Hostellerie Saint Roch, em Combain-la-Tour, Bélgica, em 1974 - fotografia de François Walthéry, criador de “Natacha”. 2) Jean-Michel Charlier e François Corteggiani – arquivo pessoal do atual roteirista de “La Jeunesse de Blueberry”.

© Os autores, os editores, e os seus herdeiros legais.

Afrânio Braga


«Eu me defino simplesmente como um contador de histórias! Existem contadores árabes de histórias, os contadores de histórias nos saraus, aqueles que fazem os estilos definidos e que alguém pagaria para contar as histórias que os povos ouvem religiosamente. É exatamente como isso que eu me considero...»

Jean-Michel Charlier em “Un réacteur sous la plume”.